Governo da Cidade de Embu das Artes

Você está aqui: Página Inicial » Secretarias » Cultura » Projetos de cada Ponto de Cultura

Projetos de cada Ponto de Cultura

Conheça a seguir os projetos de cada um dos novos Pontos de Cultura de Embu das Artes. Identifique o que é da sua região e participe:

1. AcordaCorpo 

O Acordacorpo, da Associação Acorde – Oficinas para Desenvolvimento Humano, trabalha expressão corporal, cultura e artes.Pretende fazer com que crianças e jovens acordem seus corpos através: do resgate de danças folclóricas, da capoeira e da exploração das diversas linguagens artísticas com o intuito de recuperar e manter a tradição cultural de Embu. 

O Jardim Tomé terá  um Ponto de Cultura com o Projeto Acordacorpo, na Acorde Desenvolvimento Humano. São oficinas de danças e cantigas populares: maracatu, jongo, capoeira e percussão. 

Danças e cantigas populares diariamente, manhã (23 vagas) e tarde (31 vagas). Inscrições de 24 a 28/1/2011. Idade: 7 a 17 anos. Início: 14/2/2011

Percussão segunda-feira e quarta-feira, das 17h30 às 19h. Inscrições de 1º a 10/12/2010. Idade: a partir de 12 anos, para 40 vagas. Início: 31/1/2011

Estrada do Moinho Velho, 243, Jardim Tomé.  Telefone: 4704-29202. Sitewww.acorde.org.br

 

2. Canto Cultural NH2Z - Núcleo Zumaluma

O Ponto de Cultura NH²Z – Núcleo de Hip Hop Zumaluma, da Associação Zumaluma, e contempla a realização de 13 oficinas anuais (com duração de oito meses) e a realização de consecutivos eventos. As inscrições são gratuitas para os 13 cursos da Escola do Hip Hop Zumaluma 2011 – Zumbi, Malcom-X, Luther King e Mandela. 

1 - Oficina “MC, Poesia e Expressão”: Salão Zumaluma, aos sábados (manhã). 20 VAGAS.
2 - Oficina “DJ”: Palco Zumaluma, às segundas (noite). 15 VAGAS.
3 - Oficina “Dança de Rua”: Salão Zumaluma, aos sábados (tarde). 20 VAGAS.
4 - Oficina “Graffiti”: Salão Zumaluma, aos sábados (tarde). 20 VAGAS.
5 - Oficina “Percussão – Batucazuma”: Salão Zumaluma, aos sábados (tarde). 20 VAGAS.
6 - Oficina “Capoeira”: Salão Zumaluma, às terças e quintas (tarde e noite). 30 VAGAS.
7 - Oficina “Violão e Cavaquinho”: Salão Zumaluma, às quartas (tarde e noite). 15 VAGAS.
8 - Oficina “Alfabetização Digital”: Biblioteca Zumaluma, aos sábados (tarde). 15 VAGAS.
9 - Oficina “Inglês”: Salão Zumaluma, aos sábados (manhã). 20 VAGAS.
10 - Oficina “Espanhol”: Salão Zumaluma, aos sábados (manhã). 20 VAGAS.
11 - Oficina “Produção Musical”: Estúdio HipHopZuma, aos sábados (tarde). 15 VAGAS.
12 - Oficina “Gravação de Áudio e Técnico de Som”: Estúdio HipHopZuma, aos sábados (tarde). 15 VAGAS.
13 - Oficina “Produção Audiovisual”: Estúdio HipHopZuma, aos sábados (manhã). 15 VAGAS.

Observações:

1. Todas os participantes das oficinas do Canto Cultural NH²Z terão acesso às metodologias para montagem e execução de projetos, prospecção de parceiros e acesso a editais, para que tenham também oportunidade de dar forma aos próprios projetos. 

2. Todo o material produzido nas oficinas fará parte do DVD/Coletânea HipHopZuma anual, produzido pelos próprios oficinandos de “AudioVisual” do Canto Cultural NH²Z. 

Canto Cultural NH2Z – Núcleo de HipHop Zumaluma. Rua Cerqueira César, 703, Jd. Santa Tereza, Embu, SP. Telefone 11 4244-1474, site www.zumaluma.org

 

3. Casa do Artesão 

Historicamente, os índios e jesuítas, primeiros habitantes da Aldeia de M’Boy, eram artesãos primorosos e essa vocação anteciparia o que viria a ser o Embu das Artes com a chegada de artesãos que se instalaram na cidade na década de 60 e criaram a Feira de Embu das Artes. Para a Associação Casa do Artesão, mantenedora, muito do desenvolvimento artístico, cultural e social da cidade se deve ao artesanato, que gera renda e empregos para as famílias da cidade que expõem e vendem seus trabalhos na Feira de Artes.

A proposta do Ponto de Cultura “Casa do Artesão”  é fomentar a principal identidade cultural de Embu das Artes que é o artesanato e oferecer à população acesso a ele, por meio de oficinas com diversas técnicas e conceitos. 

 

4. Círculo Palmarino 

O slogan desse Ponto de Cultura é “De periferia, para periferia – valorizando a cultura afro-brasileira”. Mantido pelo Instituto de Estudos Afro-brasileiros Manuel Querino, o Círculo Palmarino é uma entidade nacional do movimento que surgiu em março de 2006 e desde 2007 mantém sede nacional em Embu das Artes. 

Em 2008 foi realizado o primeiro Sarau Palmarino. O Círculo tem ainda Oficina de Hip Hop, Cursinho Pré-Vestibular, palestras em escolas, seminários e debates, projeções de vídeos e, em parceria com o grupo de Hip Hop Anexo Verbal, organiza o projeto Ensaio Aberto Tardes de Domingo. 

Esse ponto de cultura consiste  em potencializar, valorizar e disseminar a produção cultural feita na periferia da cidade de Embu das Artes, tendo como referencial a valorização da cultura popular afro-brasileira. 

As ações que serão desenvolvidas pelo ponto de cultura são:  

Sarau Palmarino: o Sarau Palmarino é uma atividade que acontece sempre no último sábado do mês, a partir das 20h, e que reúne na sede do Círculo Palmarino, poetas, músicos, dançarinos e a comunidade onde o espaço é livre para as manifestações dessas expressões culturais. Confira o calendário de 2011: 26/2, 26/3, 30/4, 28/5, 25/6; 30/7, 27/8, 24/9, 29/10, 26/11.  

Oficina Hip Hop - Universo do Canto Falado: o MC Gaspar do Z’África Brasil fará oficina na qual jovens aprenderão sobre a história da cultura hip hop e suas influências nos ritmos brasileiros e americanos, técnicas de rima, métrica, composição e produção musical. As oficinas serão realizadas às terça-feiras, com duas turmas, uma das 14h às 17h  e outra das 18h às 21h. Inscreva-se a partir do dia 10/1/2011. As oficinas começam em 1º/2/2011. São 30 vagas por turma.  

Oficina de Literatura afro-brasileira: esta oficina visa apresentar elementos históricos e contemporâneos da cultura e da produção literária africana e afro-brasileira. Será realizada em cinco encontros aos sábados, e serão três módulos ao longo do ano. Inscrições para o 1º módulo a partir de 1º/3/2011, com inicio em 19/3/2011. São 40 vagas por módulo.  

Acervo Cultural Afro-brasileiro: construir um acervo na sede do Círculo Palmarino que fique disponível para comunidade com: livros, publicações, revistas, fotos, documentos históricos, material audiovisual focado nas questões afro-brasileira e nas produções de periferia. Previsão de lançamento do acervo em Junho de 2011.  

O Círculo Palmarino fica na Rua Campos Sales, 12, Jardim Presidente Kennedy, Embu, SP. CEP: 06820-180. Telefone: 4782-2869. Site: www.círculoapalmarino.org.br e-mail: circulopalmarinosp@gmail.com http://twitter.com/circpalmarino

 

5. Diversidades Culturais na capoeira

Dentre as diversas possibilidades no desenvolvimento cultural e artístico da cidade, a Capoeira oferece grande identificação, por sua origem, pela beleza dos movimentos, pelo ritmo contagiante, pela integração dos praticantes. É importante ressaltar outros valores implícitos, como a prática de um exercício físico saudável, a disciplina e autocontrole necessários e a socialização (respeito ao próximo e companheirismo). 

O Ponto de Cultura Diversidades Culturais na Capoeira, mantido pela Associação dos Capoeiristas de Embu das Artes, prevê a realização de oficinas  de Capoeira Angola, Capoeira Regional, Maculelê, Samba de Roda, Dança Afro, Puxada de Rede, Dança do Coco e Maracatu, com aulas práticas e teórica sobre as atividades. 

As oficinas são abertas a pessoas de 6 a 14 , 15 a 17, 18 a 28 e 29 a 40 anos,  de ambos os sexos, divididos em turmas de 40 alunos, com período da  manhã, tarde e noite, duas vezes por semana e aulas de 2h. São 30 alunos por oficina.

Oficinas

Na Associação dos Capoeiristas de Embu das Artes, Rua Madeira, 80, Jardim Novo Campo Limpo

Segunda-feira:  Dança do Coco, das 10h  às 12h, Capoeira Angola, das 15h às 16h, Samba de roda, das 15h às 17h, Capoeira regional, das 16h às 17h
Terça-feira: Dança afro, das 10h às 12h
Quarta-feira: Maracatu, das 18h às 20h, Dança afro, das 18h às 20h
Quinta-feira: Puxada de rede, das 15h às 17h
Sábado: Maculelê, das 15h às 17h, Dança afro, das 10hàs 12h 
Na Associação Zumaluma - Rua Cerqueira Cesar, 703, Santa Tereza   
Quarta-feira: Capoeira, das 18h às 19h, Puxada de rede, das 19h às 20h
Sexta-feira: Capoeira, das 18h às 19h, Maculelê, das 18h às 19h  

 

6. Enraizar (Nezassu) 

Mantido pelo Instituto Cultural Juventude Multi-Participação Jump, o Ponto de Cultura “Enraizar” atuará em dois eixos culturais, dialogando com a tradição e a modernidade e oferecendo conhecimento e acesso a um rico conteúdo aos jovens moradores de Embu das Artes.   

Eixo Tradição: aulas de Taiko (tambor japonês), às segundas e terças-feiras, das 15h às 17h, ao lado do Parque Francisco Rizzo (Espaço Embu-Hino – “tenda branca”). São 30 vagas (15 pessoas por dia). Idade acima de 10 anos, cursando escolas públicas

Inscrições no Instituto JUMP (Ponto de Cultura), na Alameda Fernando Batista Medina 69 (ao lado do Estádio Municipal, no prédio da Associação Comercial, Industrial e Serviço de Embu/Acise). Tel.: 4704-4636/7173-9308. E-mail institutojump@uol.com.br

Eixo Modernidade: cultura Pop (Oficina de Animekê, Oficina de Cosplay e Oficina de Mangá), no terceiro domingo do mês, a partir de 11h, ao lado do Parque Rizzo (Espaço Embu-Hino – “tenda branca”)

Vale lembrar que as primeiras famílias japonesas chegaram a Embu nos anos 30, trazidas pela Cia. de Imigração Japonesa (Kaiko), que adquiriu 350 alqueires, a Fazenda Santa Emília, entre os bairros da Ressaca e Santa Clara. Outras famílias vieram nas décadas de 40 a 70. Hoje vivem em Embu e região mais de 300 famílias japonesas que tiveram papel fundamental na formação econômica, política e cultural do município. As manifestações da cultura japonesa fazem parte do cotidiano da cidade, na agricultura, na alimentação, nas artes plásticas, na música, na tecnologia, e se agregaram à diversidade cultural do País.

Telefone 4704-4636 e 7173-9308. E-mail: animaembu@yahoo.com.br

  

7. Km 30 – Identidade e diversidade 

O Projeto Ponto de Cultura KM 30, da  Associação Amigos de Bairro das Chácaras Bartira, pretende propiciar a oportunidade para que a comunidade local efetive suas potencialidades na reflexão e construção de sua identidade tendo o acesso à cultura como veículo desse processo.  A ideia central é aumentar o sentimento de pertencimento local pelo resgate das memórias e histórias de sua gente, revisitando a tradição oral, incorporando a diversidade de linguagens, falas, vivências e experiências. 

Para isso o projeto prevê encontros de “contação de estórias” através da Caravana de Histórias visando colher material para alimentar o blog “Minhas memórias, nossa história”. Os encontros agregarão novos interessados em contar suas histórias, seus causos e especialmente suas memórias. 

A partir da Caravana, pretende-se desenvolver diversas linguagens para registrar o resultado das atividades e também para recontar as histórias semeando novo ciclo cultural. 

Os jovens e interessados serão capacitados em oficinas/Workshops culturais, tais como rodas de contação de história, audiovisual, internet, roteiro, que serão os futuros condutores da Caravana e capacitarão outros interessados. A Caravana será itinerante se reunindo em locais como praças escolas, terreiros, pátios, estacionamentos, quintais, salas... Contadores de qualquer região serão bem-vindos. A Caravana também poderá visitar outros pontos de cultura e espaços da cidade para troca de experiências. 

Os encontros estimularão a troca intergeracional, no qual o contato entre  jovens e outras gerações propiciarão trocas de conhecimento em vários níveis: simbólico, tecnológico e histórico. O resultado dos depoimentos, histórias, fotos, entrevistas, etc., colhidos pela Caravana serão compartilhados pelo Blog, através da internet e em três encontros anuais. 

Paralelamente e/ou simultaneamente às visitas, o ponto de cultura oferecerá  rodas de contação de histórias, oficinas e workshops que estimulem a comunidade a participar do projeto como vídeo e  internet. Além dos workshops, ocorrerão encontros e palestras com profissionais que ajudem a compor essa grande imagem/história da região.

A Caravana de Histórias percorrerá a região, em visitas ou encontros, a partir de solicitações de comunidades e interessados também pelo levantamento e diagnóstico efetuado pela equipe do Ponto de Cultura KM 30.  

Informações, agendamentos e inscrições: tel. 11 4781-2664 e 11 9579-1154 (vivo), das 8h às 11h e das 13h às 17h.  

 

8. Revelando Embu das Artes

Revelando Embu das Artes, ponto mantido pela Associação de Arte e Cultura Cine Clube Embu das Artes, tem por objetivo promover processos de formação e inclusão audiovisuais, através do estímulo à produção de vídeos digitais. Prevê a formação de receptores críticos e para a produção de obras, que registrem a memória e a diversidade artística e cultural da cidade, revelando novos olhares sobre a mesma.  

Já estão abertas as inscrições para o Curso de Formação e Realização Audiovisual, com oficinas de introdução à linguagem audiovisual, roteiro, direção, produção, fotografia, som, edição, direção de arte, pesquisa, mobilização, direitos autorais e comunicação colaborativa.

Após os cursos, os participantes transformarão suas histórias em vídeos com até 15 minutos de duração. Nessa fase, eles contarão com o apoio do Núcleo de Criação e Produção de Cinema e Vide de Embu das Artes e região que irá providenciar os equipamentos de câmera e de som digitais.

Os vídeos do projeto serão lançados em DVD com distribuição gratuita entre organizações sociais e culturais, bibliotecas de Embu das Artes, universidades e cineclubes de todo o Brasil em parceria com o Conselho Nacional de Cineclubes.

Inspirado no projeto Revelando os Brasis, que nasceu na Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, em 2004, o Projeto Revelando Embu das Arte, em desenvolvimento pelo Cine Clube Embu das Artes, faz parte de um conjunto de ações para democratizar o acesso aos meios de produção audiovisual, permitindo ao público um contato consistente com as novas tecnologias e a possibilidade de contar as suas próprias histórias, promovendo a criação de obras que retratem o seu universo simbólico. 

As inscrições gratuitas para os cursos abrem na segunda quinzena de dezembro/2010. Retire fichas de inscrições no Cine Clube Embu das Artes - Rua João Batista Medina (Maranhão), 431 Tel.: 4704-7351, e-mailcineclubembudasartes@gmail.com.br

Secretário(a)

Secretaria em Ação

- O que fazemos

Conselho Municipal

Cultura e lazer

Festa Popular

Pontos de Cultura

Programa Embu Digital